quarta-feira, 10 de maio de 2017

Minerador encontra fóssil de dinossauro tão perfeito que parece estátua

Exemplar tem 110 milhões de anos se assemelha a um filhote de lagarto com leão, coberto por um casco

FOTO: ROBERT CLARK /NATIONAL GEOGRAPHIC/REPRODUÇÃO

Um fóssil de Nodossauro foi encontrado tão bem preservado que até parece uma estátua. Pelo menos é isso que a National Geographic conta em sua reportagem sobre o animal. 

O espécime foi encontrado no Canadá, em 2011, mas será exposto só agora no Museu Real de Paleontologia Tyrrel do Canadá.

Outro fato curioso é que o fóssil foi achado pelo minerador Shawn Funk enquanto escavava a Mina Millenium de Alberta: “[Bati em algo] muito mais duro que a rocha que o circundava”, afirma ele na reportagem. O objeto pesava mais de uma tonelada e logo foi levado para o museu de Alberta para ser estudado.

Segundo o Science Alert, o Nodossauro se assemelha a um filhote de lagarto com leão, coberto com um casco. O dinossauro viveu há cerca de 110 milhões de anos. O animal encontrado, em particular, media 5,4 metros e pesava 1.360 quilos.

Segundo os especialistas, o fato de o animal ter afundado no mar ajudou na preservação. Logo após imergir, seu corpo foi coberto por minerais, que se infiltraram no fóssil e garantiram sua aparência "jovial". Como afinal Michael Grenshko, da Narional Geographic, encontrar um fóssil desse tipo “é tão raro quanto ganhar na loteria”.

FOTO: REPRODUÇÃO

VEJA O VÍDEO COM O FÓSSIL DO DINOSSAURO

video


Fonte: Revista Galileu

sábado, 6 de maio de 2017

Indicação de Leitura


O blog Reptossaurus completou recentemente 6 anos no ar!

Como os seguidores já perceberam não há qualquer propaganda/banner no Blog.

Recentemente as postagens estão mais devagar por conta do tempo, que não tenho mais disponível como antes. Mas, o blog não morreu, e sempre que posso atualizo.

Mas, o foco desta postagem é divulgar a Trilogia "Quando o Céu é o Limite", uma obra de ficção científica que narra a trajetória de um físico teórico americano que busca incansavelmente elucidar o desaparecimento de pessoas em todo o mundo. Em suas pesquisas, estudos e investigações ele propõe uma teoria única capaz de explicar quase que totalmente todos os desaparecimentos antes indecifráveis. Porém, essa hipótese não é bem vista pela comunidade científica, que logo o taxa de pseudocientista. Mas, não tarda para que até o mais céticos deem azo as suas teorias, já que elas se adequam perfeitamente a diversos casos.
Para o físico Christian Goldville o uso desenfreado de arsenais nucleares, a manipulação climática e testes com sonares criaram o ambiente ideal para a ocorrência do fenômeno de transposição, algo similar aquele causado pelos buracos negros no Universo. O cientista batizou esse evento de "Efeito Transposicional da Matéria Física Humana", tendo em vista que os vórtices são gerados na atmosfera, descem para a terra e por vezes tragam para dentro de si tudo o que encontram, inclusive pessoas.
Quando isso ocorre, as vítimas podem ser transportadas para outro local, seja no passado, no presente ou no futuro, respeitados os limites da geografia terrestre.

Se você é curioso ou ama assuntos relacionados a viagem no tempo, anomalias temporais, buracos de minhoca e temas similares, esse é o seu livro. Contudo, mesmo quem não é fã do desconhecido adorou a leitura e os inúmeros casos relatados no livro.

Adquira já o seu na Amazon ou na Livraria Drago Editorial.

Um livro como poucos, que vale muito a pena ser lido!

Valorize a literatura nacional e ajude o blogueiro que vos fala.




Veja alguns vídeos do livro